Home Page > Dicas Veterinárias > Fraturas em répteis

Fraturas em répteis


Fraturas em répteis as fraturas ocorridas nas extremidades dos répteis são raramente abertas (expostas) e cominutivas (fragmentadas) algumas fraturas patológicas secundárias a doença ósseo metabólica podem ser reparadas por fixação externa em outros casos, a fixação interna é a preferida quando existe um trauma tecidual severo, perda do suplemento vascular, infecção granulomatosa e inflamação, a amputação deve ser realizada cabe salientar que os répteis adaptam-se extremamente bem com um membro totalmente ou parcialmente amputado as fraturas nos ossos longos freqüentemente são resultados de trauma ou doença ósseo metabólica como citado anteriormente, pela característica da pele dos répteis de ser forte e elástica, as fraturas abertas não são freqüentes poucas informações sobre a cicatrização óssea nos répteis est?o disponíveis, mas quando comparada com a dos mamíferos e aves ela se mostra muito mais lenta o tempo requerido para uma cicatrização completa de uma fratura com causa traumática, geralmente varia entre seis a dezoito meses no entanto as fraturas causadas por doença óssea metabólica cicatrizam em um tempo muito mais curto, geralmente entre seis e oito semanas como princípio básico para do manejo de uma fratura, deve sempre levar em conta as forças nela exercidas como compressão, rotação e desvio estas forças devem ser neutralizadas para promover uma cicatrização óssea adequada considerações práticas para estes procedimentos incluem o requerimento funcional do paciente, custo dos materiais, facilidade de aplicação ou execução, disponibilidade do equipamento, e grau de experi?ncia do cirurgi?o a imobilização ou coaptação externa envolve esparadrapo, seringas, palitos, dentre outros é provavelmente o método mais utilizado dentre os profissionais para fixação de fraturas na ortopedia em répteis, pois é um procedimento simples, requer um mínimo de quipamento, toma pouco tempo para sua aplicação, pode ser realizada com um mínimo de tempo anestésico, e geralmente é barata a anestesia geral sempre é indicada nestes procedimentos para evitar fraturas iatrog?nicas e/ou cominutivas além de minimizar o stress todas as formas de imobilização deveriam ser monitoradas de perto, para se evitar edema do membro imobilizado, comprometimento vascular, afrouexamento, desliz /ou sujeira da imobilização a imobilização interna é indicada para o reparo de fraturas severas ocorridas nos ossos longos a imobilização externa freqüentemente não promove uma estabilidade rígida e não é bem tolerada por muitos animais a imobilização externa não é adequada para répteis aquáticos ou semi-aquáticos os principais acessos cirúrgicos para os ossos longos dos répteis são similares aos dos mamíferos pinos de steinmann, fios de kirschner, placas, parafusos e até mesmo agulhas espinhais são utilizados para as osteossínteses segue abaixo a descrição de um caso cirúrgico reparativo de um iguanídeo com fratura na tíbia, rádio e ulna, o qual foi realizado por nossa equipe formada pelos médicos veterinários carlos alexandre pessoa, luis otávio gonzaga e maria aparecida rodrigues, que se apresentava com a seguinte história clínica: iguana adulto com 800 g de peso vivo, apresentava ? palpação fratura em membro posterior esquerdo (tíbia) e membro anterior direito (rádio e ulna), após queda do 11 ° andar de um edifício no exame radiológico observou-se fratura completa no terço médio de rádio e ulna direitos, com perda de ixo destes ossos e fratura completa oblíqua no terço proximal da tíbia esquerda, com perda de ixo ósseo optou-se pela osteossíntese com auxílio de pinos intramedulares o procedimento anestésico utilizado consistiu em propofol seguido de isofluorano para intubação utilizou-se sonda endotraqueal adaptada a partir de um scalp o acesso venoso (veia medial da cauda) para fluidoterapia com solução de ringer lactato foi realizado com agulha hipodérmica 25x7 o procedimento cirúrgico foi realizado cinco dias após o traumatismo a osteossíntese da tíbia foi feita através de fixação óssea com pino de steinmann de 1,5 mm inserido no sentido ortógrado no caso do rádio e ulna, as fraturas estavam no terço médio da diáfis em cães, o rádio não é tratável com colocação de pino intramedular como os outros ossos longos principais por várias raz?es como o rádio é relativamente reto e ambas as extremidades são completamente recobertas com cartilagem articular, a colocação de pino em sentido contrário resulta na entrada do mesmo ou no cotovelo ou na articulação cárpica um pino medular único não proporciona uma fixação estável de uma fratura radial mesmo que também se coloque um pino na ulna um pino intramedular só proporciona um alinhamento; portanto, também se deve utilizar uma fixação suplementar para se obter a estabilidade no caso em estudo, optamos pela utilização de pino intramedular, sendo que a estabilidade e a posição anatômica dos membros foi obtida pela imobilização das articulações proximais e distais das fraturas por meio de penso esparadrapado como se tornava necessário a utilização de um pino relativamente flexível e que deslizasse dentro do canal medular optou-se pela utilização do mandril de uma agulha espinhal 20g, inserido no canal medular da ulna por via retrógada e do rádio por via ortógrada mesmo sabendo que a colocação de pino intramedular é o método menos desejado de tratamento das fraturas radiais e ulnares em cães, optou-se por este método pois as extremidades ósseas distais fraturadas apresentavam-se cruzadas, tornando impossível o realinhamento ósseo por imobilização externa o diâmetro dos ossos (rádio e ulna) era muito pequeno impossibilitando a utilização de placas, parafusos ou transfixação percutânea, mesmo se fossem utilizadas agulhas hipodérmicas, ligadas com polímero acrílico e tubo plástico faz-se necessário salientar que no rádio, o pino intramedular serviu apenas como ´´guia`` para o alinhamento das extremidades fraturadas foi necessária cerclagem com fio de nylon 2-0 pela presença de múltiplas fraturas longitudinais no fragmento distal do rádio o caso clínico demonstra que, nem todas as afirmações ou informações literárias para procedimentos ortopédicos descritos em pequenos animais são ´´verdades`` em répteis cada caso deve ser estudado de forma particular e, devido ao tamanho, peso, anatomia própria e tempo de formação de calo ósseo estimado entre seis e dezoito meses na espécieem estudo, outras técnicas e materiais poderiam ser utilizados para a osteossíntese

carlos alexandre pessoa
médico veterinário (11) 99112330 www.animalexotico.com.br

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletSimples carinho

bulletNinho de cobras contra veneno

bulletGato pensa? Adriana Calcanhotto

bulletAranha hangover

bulletCanta, brasil



Dicas Veterinárias:

bulletVisão de cães

bulletBicho novo na área? veja como fazer as apresentações entre os animais

bulletEstreitamento passagem nasal em cães

bulletPicada de cobra em cavalos: o que fazer nesses casos?

bulletComo tratar um cão sangrando



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Salvador St.Aubyn Mascarenhas Médico Veterinário www.vetcondeixa.pt Pelos Animais>

bullet Katherine P. Colomba>

bullet Prof. Saulo Tadeu Lemos Pinto Filho>

bullet Rafael Senos Médico Veterinário UFF Mestrando USP Técnico em Biotecnologia CEFETEQ RJ>

bullet Israel M. BleichDiretor Técnico do Laboratório CEPAV Tecnologia em Saúde AnimalR. Tanabí, 185 S?o Paulo SP BRASILCEP05002010 Fone/Fax (011) 38729553email: info@cepav.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletA vida dos peixes (la vida de los peces)

bulletLoup - uma amizade para sempre

bulletMadagascar iii

bulletMulher-gato (catwoman)

bulletSeefood um peixe fora d agua (seefood)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

bulletLivro definitivo de dicas e sugestoes de jardinagem

bulletMarley e eu

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bulletMemorias de um gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos